Política externa para o século 21

Na Plataforma Brasil Democrático e Sustentável (2014) foram apresentadas 349 propostas, das quais 35 foram consideradas como "Propostas Prioritárias". Dentre estas, 15 foram denominadas como "Propostas de Prioridade Máxima", pois traduzem a essência da Plataforma IDS e foram consideradas como as que possuem maior potencial de contribuir para a construção de um novo paradigma de desenvolvimento pautado na democracia e na sustentabilidade. 

Saiba mais sobre o processo de atualização da Plataforma acessando nosso Histórico

No eixo Política externa para o século 21 são destacadas as seguintes "Propostas Prioritárias", sendo as "Propostas de Prioridade Máxima" destacadas em negrito:

1. Posicionar-se como Estado/Sociedade líder nas discussões e negociações globais a respeito da promoção da sustentabilidade, mitigação das mudanças climáticas e adaptação as suas vulnerabilidades, incorporando os conceitos de Antropoceno e de limites planetários. Essa liderança internacional deve ser acompanhada da correspondente ação interna para incentivar uma economia de baixo carbono, inclusive promovendo a cooperação para a governança e gestão dos recursos naturais transfronteiriços.

2. Reafirmar os princípios históricos democráticos da política externa adaptando-os às transformações aceleradas do mundo. A defesa do multilateralismo e da reforma democratizante das instituições internacionais deve ir acompanhada pelo reconhecimento da importância e potencialidades do G20, pela abertura em relação aos tratados plurilaterais e pela promoção da formação de alianças progressistas, por exemplo, com países descarbonizantes.

3. Assegurar a legitimidade e as bases democráticas da política externa, por meio da criação de mecanismos que garantam a consulta pública à sociedade sobre as principais questões de política externa e assegurem a transparência nas decisões.

4. Compreender em profundidade a dinâmica da globalização na última década, incluída a formação das cadeias globais de valor e a importância de inserir o Brasil nessas cadeias (relevância de o Brasil participar em acordos bilaterais e plurilaterais de livre comércio com cláusulas descarbonizantes e sustentabilistas).

5. Advogar firmemente pela proteção dos direitos humanos em todo o mundo, posicionando-se consistentemente nos organismos internacionais independentemente de interesses econômicos ou comerciais.

Acesse a Plataforma completa com todas as propostas, informações e infográficos do eixo Política externa para o século 21

Confira ainda os materiais de referência que subsidiaram a atualização da Plataforma, em 2014. Neste eixo, são abordados temas como: Cooperação e solidariedade; legitimidade e democracia; sustentabilidade; paz e direitos humanos; e Comércio mais livre, mais justo e mais sustentável.

Acesse o canal do YouTube com todos os vídeos sobre o tema! >> goo.gl/gw5zh0 <<  

Multimídia do Eixo

Materiais de referência